sábado, março 21

Vuelvo Al Sur



Astor Piazzola - Fernando Solanas

Volto ao Sul,
Como ao amor sempre se volta
Volto a vós,
Com meu desejo, com meu temor


Chego ao Sul,
Como um destino do coração
Sou do Sul,
Com os ares do bandônio


Sonho o Sul,
Imensa lua, céu às avessas
Busco o Sul,
O tempo aberto, e seu depois


Quero o Sul,
Sua boa gente, sua dignidade,
Sinto o Sul,
Como teu corpo na intimidade


Volto ao Sul,
Chego ao Sul
Te quero



Heloísa, mexe A Cadeira





Mexe a cadeira
E bota na beira da sala
Mexe a cadeira
Agora bem na minha cara
Mexe a cadeira
Da manera que te tara
Mexe a cadeira
E perde a vergonha na cara
E vem,vai,vem,vai
Move your body,don't stop
Move your body,don't stop
Mexe a cadeira,hum...
Menina,mexe a cadeira
Mexe a cadeira,hey
Bota pra danar,hey
Trepa na mesa,hey
Give it up,give it up,give it up
Mexe a cadeira
E bota na beira da sala
Mexe a cadeira
Mexe na minha cara
Mexe a cadeira
Sabe tudo e nada fala


VINNY

ALEGRIA


Eu vou te dar alegria
Eu vou parar de chorar
Eu vou raiar o novo dia
Eu vou sair do fundo do mar
Eu vou sair da beira do abismo
E dançar e dançar e dançar
A tristeza é uma forma de egoísmo
Eu vou te dar eu vou te dar eu vou te dar
Hoje tem goiabada
Hoje tem marmelada
Hoje tem palhaçada
O circo chegou
Hoje tem batucada
Hoje tem gargalhada
Riso e risada
Do meu amor


(Arnaldo Antunes)

“O que é o amor?
O amor é assim:
Hoje beija-se, amanhã não se beija,
Depois de amanhã é domingo
e segunda-feira ninguém sabe o que será…”


Carlos Drummond de Andrade

Skap


Quando você pinta tinta nessa tela cinza
quando você passa doce nessa fruta passa
quando você entra mãe-benta amor aos pedaços
quando você chega nega fulô boneca de piche
flor de azeviche


você me faz parecer menos só
menos sozinho
você me faz parecer menos pó
menos pozinho


quando você fala bala no meu velho oeste
quando você dança lança flecha estilingue
quando você olha molha meu olho que não crê
quando você pousa mariposa morna lisa
o sangue encharca a camisa


quando você diz o que ninguém diz
quando você quer o que ninguém quis
quando você ousa lousa pra que eu possa ser giz
quando você arde alardeia sua teia cheia de ardis
quando você faz a minha carne triste quase feliz


você me faz parecer menos só
menos sozinho
você me faz parecer menos pó
menos pozinho

Zeca Baleiro